Optimizando o Windows XP (terceira parte)

Optimizando o Windows XP (terceira parte)

Mensagempor Rotiv em Segunda 24-04-2006 15:53

Aqui fica uma tentativa de explicar o que alguns dos processos do Windows XP SP2 fazem de modo a podermos tornar o Sistema Operativo mais rápido e, talvez mais estável. É sabido que, quanto mais coisas estiverem a funcionar, maiores são as probabilidades de alguma coisa dar problemas, sendo assim, surgiu a ideia de lançar este tutorial, em seguimento aos já colocados pelo Slaid.
É de salvaguardar que, à excepção dos processos mais óbvios dos que vou referir a seguir, convém sempre desligar um de cada vez, verificando sempre se tudo funciona como deve ser. Assim, é mais fácil reestabelecer o estado inicial, saltando a necessidade de ir ao Windows Restore.

Os processos que irei aconselhar a desactivar no computador podem variar consoante as necessidades de cada utilizador. Eu tomarei como exemplo um computador que necessita de ligação à Internet e para jogar e correr o software mais comum (jogos, Office...). Software ou serviços que exijam as capacidades de servidor do XP não são aqui referenciados (como o IIS, ou o servidor de FTP, por exemplo). Talvez noutro tutorial.
A contagem de processos a que me irei referir não inclui a presença de outros processos permanentemente activos, como por exemplo, anti-vírus, firewalls, software de modems, etc. Numa máquina perfeitamente funcional (para as actividades que falei e tirando a ressalva anterior) podem estar em função apenas 16 a 18 processos (incluindo o Task Manager). Talvez menos, se abdicarmos de outras funções.

Foi referido que pode correr num P3 700 sem problemas. Bom. Eu diria, por experiência própria, que corre num P Pro [email protected] com 128Mb de RAM. Não é rápido, mas o Quake2, por exemplo, corre nessa máquina 2 a 3 fps mais rápido que com o Me (400x300 por software).

Ok. Vão ao painel de controlo e abram "Ferramentas administrativas" -> "Serviços".

Os seguintes serviços podem ser desactivados se não precisarem das funcionalidades que irei para eles descrever. Para o fazer, escolham um serviço e, com o botão direito do rato vão a "Propriedades". Em "Tipo de arranque" escolham "Desactivado" e em "Estado de serviço" escolham "Parar". Alguns serviços só podem ser parados e/ou iniciados com o arranque do Windows. Para esses serviços os botões "Parar, Iniciar, Pausa, Retomar" estão sempre inacessíveis. Podemos alterar o estado deles seleccionando "Desactivado" (ou "Automático" caso queiramos iniciá-los) no "Tipo de arranque" e reiniciando a máquina.

Acesso a dispositivos de interface humana – Este serviço é responsável pelo reconhecimento de algum hardware como, por exemplo, teclados multimédia. À partida, os drivers desses dispositivos serão responsáveis pelo seu reconhecimento. Como não tenho nenhum hardware desse tipo, tenho-o desactivado. Quem tiver, experimente desactivá-lo e verificar se tudo funciona bem (telecomandos incluídos).

Ajuda e suporte – Este serviço é óbvio. A mim nunca me resolveu nenhum problema. Quem pensar o contrário deixe-o activado. É particularmente útil fazê-lo para que os PCs mais lentos não fiquem quase bloqueados cada vez que ocorre um daqueles erros que abrem automaticamente o "Centro de Ajuda". Se estiverem a receber o aviso de que é necessário o centro de ajuda para efectuar algo podem sempre voltar a activá-lo e passá-lo para automático.

Alerta – Penso que seja útil principalmente em ambientes multi-utilizador ou em redes domésticas com vários utilizadores. Penso que a função dele é alertar máquinas e/ou utilizadores de eventos administrativos. Eu tenho-o desligado e não sinto a falta dele... Como sempre, procedam com cautela.

Centro de segurança – Esta é para quem estiver mais à vontade com o controle de segurança do PC. Ele NÃO interfere com a firewall nem torna, por si só, o sistema mais ou menos seguro. Funciona apenas como um aviso que algo possa estar desactivado: firewall, actualizações automáticas e anti-vírus. Nesse aspecto, e só nesse, torna o PC mais seguro. Eu desactivo-o pelas seguintes razões: em primeiro lugar, estou consciente da presença da minha firewall. Em segundo lugar, não uso as actualizações automáticas: uso o Windows Update mas verifico as actualizações periodicamente "à mão". A razão para isto assim ser é que as actualizações demasiado automáticas dão-nos uma falsa sensação de segurança. Pensamos que o PC as verificou mas há relatos de algumas actualizações prioritárias que foram ignoradas por este sistema. Como desligo as actualizações automáticas, o centro de segurança estava sempre a apresentar o balão de que "o seu computador pode estar em risco". Assim, corto o mal pela raiz.

Cliente de distributed link tracking – Pode ser útil na manutenção e actualização de bases de dados através da rede. Não noto diferença na minha utilização diária e, por isso, desactivo-o. Se não estiverem certos, mantenham-no em “Manual” e ele ligará se for necessário.

Cliente de DHCP – Mantenham-no ligado se, na vossa rede doméstica, as workstations obtiverem o endereço de IP automaticamente por DHCP. Caso contrário, ou seja, se lhe atribuírem um endereço de IP fixo (por exemplo, 192.168.0.xxx), podem desactivá-lo (nas workstations). Não o desliguem na máquina que se liga directamente à Internet.

Cliente de DNS – A minha opinião é que este serviço não é necessário se não usarem o Active Directory. O vosso PC manterá a possibilidade de resolver os endereços DNS mas não os armazenará temporariamente. Ou seja, de cada vez que tentarmos ir a um endereço do género http://www.google.com ele vai sempre ao servidor de DNS para o resolver e o “transformar” em IP em vez de o memorizar para usos futuros. Penso eu. De que.

ClipBook – Penso que está relacionado com a partilha da área de transferência para computadores remotos. Como nunca lhe achei utilidade desactivei-o e, no meu dia-a-dia, não lhe acho utilidade a nenhum programa que uso. Experimentem e vejam se tudo funciona. Este serviço NÃO está relacionado com, por exemplo, a partilha de ficheiros nem sua ausência impede a execução de "Copiar/Colar" de ficheiros de um PC na rede para outro.

Compatibilidade de 'Mudança rápida de utilizador' – É algo que não uso, talvez porque o meu PC é usado principalmente por mim. A desactivação deste serviço NÃO impede o login com um utilizador diferente, apenas impede a "memorização" do estado de um utilizador enquanto outro também faz login. Este serviço esteve relacionado com problemas graves de segurança no passado. Desconheço se o problema se mantém.

Configuração zero sem fios – Não tenho nenhum dispositivo wireless, por isso só posso aconselhar a desactivação àqueles que também não tenham. Desconheço o efeito de desactivar este serviço em quem tem algo wireless a funcionar na rede. Procedam com cautela.

Hora do Windows – Usem-no apenas se quiserem sincronizar automaticamente a hora (e a data) através de um servidor de hora. Eu não quero e, por isso, desactivo-o. Para os fanáticos do tráfego nacional lembrem-se que podem substituir o servidor de hora da Microsoft que aparece por defeito no submenu “Hora da Internet” das “Propriedades de data e hora” por um servidor nacional como, por exemplo, o da Universidade do Minho.

Início de sessão secundário – Permite a execução de algumas tarefas usando um nome de utilizador diferente. É o que está por trás da opção "executar como" que aparece quando pressionamos com o botão direito do rato num atalho, por exemplo. Não uso, logo não activo.

Machine debug manager – Estou pouco certo da necessidade do serviço. Penso que está relacionado com o "debugging" do Visual Studio. Mantenham-no ligado caso precisem de depurar programas e/ou macros. Eu mantenho-o desactivado e não tenho problemas. Outro para desactivar com precaução.

Mensageiro – Faz o transporte das mensagens do Alerta. Se desligaram o Alerta desliguem este também. Como no outro, procedam com cautela.

Programa auxiliar TCP/IP NetBIOS – Penso que não está relacionado com o NetBIOS propriamente dito. O certo é que a minha rede funciona bem sem este serviço. Mas atenção: alguns jogos online requerem este serviço para fazer ping ao servidor do jogo. Isto pode impedir o jogo de funcionar online. Se os vossos jogos funcionarem bem sem ele penso que o podem desligar.

Programador de tarefas – Se executarem as tarefas de manutenção (backup, desfragmentação, etc.) manualmente podem desactivá-lo. Penso que os programas de terceiros que recorrem a serviços semelhantes (por exemplo, actualizações automáticas de um anti-vírus) não requerem este serviço.

Rede DDE – Penso que está apenas relacionado com o clipbook. Tenho-o desactivado.

Rede DDE DSDM – Idem.

Registo remoto – Permite o acesso e modificação do registry do Windows por computadores remotos. Acho que o utilizador comum não necessita de algo que pode ser uma possível grave brecha na segurança. É, no entanto, útil para administradores de sistemas que alteram pormenores nas máquinas da sua rede sem ter que se deslocar fisicamente ao PC em questão. Por mim desligo-o.

Serviço COM de gravação de CD de IMAPI – Para os que tiverem um gravador de CD e usem a capacidade de gravação de CDs do XP. Os que não tiverem gravador ou usarem APENAS outro software para gravar (Nero, Alcohol, etc…) podem desligá-lo.

Serviço de indexação – Útil para quem faz procuras frequentes num PC com muitos (Muitos!!) ficheiros. Quem não quiser este serviço perde alguns segundos (depende da velocidade da máquina e da quantidade de ficheiros que ela tem) na procura. Como tenho os ficheiros bem ordenados as minhas procuras são muito pouco frequentes. Por isso, desactivo-o.

Serviço de relato de erros – Poder desligar este serviço é uma bênção. Com ele desligado, de cada vez que um programa crashar NÃO aparece aquela mensagem irritante a lamentar pelo incómodo e a perguntar se queremos enviar o erro para a Microsoft.

Serviços de terminal – Podem desligá-lo se não utilizarem a "Mudança rápida de utilizador" nem o "Ambiente de trabalho remoto" nem a "Assistência remota" nem tiverem pessoas ligadas remotamente ao vosso PC. A desactivação deste serviço NÃO impede o acesso de outras máquinas para, por exemplo, partilhar ficheiros numa rede, (ou usar o eMule ).

Servidor – Não necessário se não tiverem uma rede doméstica.

Telnet – É um método de aceder remotamente a uma máquina e executar comandos. É um método bastante inseguro porque não é encriptado. A desactivação deste serviço não impede que o usem para aceder a outros computadores, apenas impede que alguém aceda à vossa máquina via Telnet.

Temas – Eu uso o "estilo clássico do Windows" por isso não necessito deste serviço.


Há vários outros serviços que podem ser desactivados mas que o Windows não os inicia automaticamente. Logo, à partida não interferem muito com a performance e não pertencem a este tutorial. Seguir-se-á um tutorial com todos os serviços descritos.

Como ressalva tenho que voltar a acrescentar que devem sempre proceder com cautela. As minhas opiniões baseiam-se apenas na minha experiência pessoal e não são, obviamente, dogmas. Conto com a vossa ajuda para corrigir algo que esteja errado ou incompleto.

Fonte: forunsbb

Propz, :D
Avatar do utilizador
Rotiv
Utilizador
Utilizador
 
Mensagens: 114
Registado: Quinta 16-03-2006 22:19
Localização: de_nuke

Voltar para MANUAIS/TUTES/ARTIGOS

Quem está ligado

Utilizadores a navegar neste fórum: Nenhum utilizador registado e 2 visitantes

cron